• THACO. A&A

Quem errou?


Hoje estava pensando em escrever sobre Briefing, mas bem receosa na verdade, com tantas coisas para se falar em arquitetura... já escrevi aqui sobre o PROJETO EXECUTIVO, que é o final do projeto, mas o inicio, se dá pelo Briefing...

Até que hoje fui almoçar na casa de uma amiga, e esta me contou que a empresa que trabalha está passando por reforma, e inacreditavelmente tudo está dando errado! Acabam de entregar o espaço de recebimento de 200,00m² e tem que ampliar para o dobro, já que a empresa aumentou em vendas 50%. Colocou que tudo que estão fazendo está incoerente com as necessidades do uso, e a limitação de espaço está fazendo ter problemas com a encomenda de produtos, afetando a bolsa de valores!

Você já pensou?!! Óbvio que ela colocou a culpa na arquiteta... e eu perguntei: mas além disso, quem passa para a arquiteta sobre as necessidades do espaço? Esta conversa foi decisiva para falar com você sobre Briefing Comercial ou Corporativo.

Mas afinal, o que é briefing? Nada mais é que o conjunto de informação que o profissional arrecadará para poder iniciar o projeto. Nele constará todo o programa de necessidades da empresa, e para cada tipo de empresa tem-se que criar sua respectiva lista de perguntas elaborada previamente pelo profissional contratado. Por exemplo, o levantamento de informações de um restaurante não pode ser o mesmo que uma fábrica de pregos.

Avaliar quais espaços são necessários; como funciona a logística de entregas, produção, recebimento; qual o processo completo desde o pedido da matéria-prima à entrega do produto ao consumidor final; periodicidade de manutenção, estudar leis cabíveis para o funcionamento de cada setor, seja alimentício, fábricas, hospitalares, etc. E principalmente fazer uma visita na empresa passando por todos os setores para conhecer o funcionamento.

Vamos convir? Isso basta? Não!

Muito empresários podem torcer o nariz para oque colocarei agora. Qualquer empresa, para ser sanado o máximo de problemas, tem-se que perguntar à equipe que trabalha nela o que é necessário melhorar. Cada um sabe das dificuldades que passa, o que poderia melhorar. Eles estão no dia-a-dia da empresa de forma OPERACIONAL, e para FUNCIONAR tem que ser FUNCIONAL, tem-se que OPERAR. Não precisa o arquiteto entrar em contato com toda a empresa, mas devem-se consultar aqueles que trabalham para que complementem o programa de necessidades.

Outra dica importante, é prever o crescimento da empresa e em qual prazo irá acontecer. Para criar-se um plano de expansão estratégico, e não ocorrer o fator surpresa no futuro: “ah! Temos que aumentar a produção, mas não foi previsto, teremos que refazer grande parte da reforma novamente!”

E é exatamente isso que está acontecendo nesta empresa: um briefing não tão bem feito, a falta de previsão do crescimento de 50%, e uma pessoa responsável por aprovar o projeto sem ouvir se quer um único funcionário da empresa.

Em suma, amigos, ao pensar em reformar a sua empresa, passe o maior número de informações, previsão de crescimento, consulte sua equipe com oque pode ser melhorado, apresente o projeto para que eles juntos comentem, e não esqueça de passar qual o valor de investimento que tem disponível, assim o arquiteto não vai até a Lua e o desenho possa sair do papel. E o arquiteto? Sim, tem que extrair o máximo de informação possível e inimaginável do cliente.

Projeto é uma parceria, entre arquiteto e cliente, por isso, não procure quem errou, e sim, como juntos farão um excelente projeto.

Espero que tenham gostado! Qualquer duvida estou à disposição! Forte Abraço!

#briefingbriefingcomercialnegociosreformacom #brief #reforma #reformacomercial #briefingcorporativo

7 visualizações
  • Facebook THACO.
  • Instagram da THACO.
  • Pinterest THACO.
  • THACO. no youtube
Escritório de arquitetura THACO.

© 2018 by THACO. Marketing